đŸ‡”đŸ‡č Entre RomĂŁs e Granadas: Quando a InteligĂȘncia Artificial Falha na Tradução

Na noite de sexta-feira (27 de outubro), um turista do AzerbaijĂŁo sentindo-se indisposto, entrou no restaurante PortugĂĄlia, no Cais do SodrĂ©, em Lisboa, em busca de uma romĂŁ para aliviar o seu mal-estar. NĂŁo falando portuguĂȘs, recorreu a uma aplicação de tradução no seu telemĂłvel. Na sua lĂ­ngua nativa, escreveu a palavra para romĂŁ (ĐłŃ€Đ°ĐœĐ°Ń‚Đ°), que foi erradamente traduzida como ‘granada’. O funcionĂĄrio do restaurante, alarmado, alertou as autoridades, desencadeando uma resposta rĂĄpida da PolĂ­cia de Segurança PĂșblica e da Unidade Especial da PolĂ­cia.

A situação só foi esclarecida após uma investigação mais aprofundada, que revelou a falha na tradução automåtica como a causa do mal-entendido.

Este incidente, inicialmente interpretado como uma ameaça séria, teve direito a transmissão em direto na televisão portuguesa.

A narrativa mudou no dia seguinte, quando foi revelado que o erro de tradução foi a verdadeira causa do alvoroço. Este caso nĂŁo sĂł causou constrangimento e angĂșstia ao turista envolvido, mas tambĂ©m lançou luz sobre as limitaçÔes das tecnologias de tradução automĂĄtica e a importĂąncia crucial de uma revisĂŁo humana meticulosa.

Com a InteligĂȘncia Artificial (IA) a impulsionar a inovação e a eficiĂȘncia, Ă© vital reconhecer e mitigar os riscos associados. A inteligĂȘncia artificial, embora promissora, traz consigo potenciais riscos de fiabilidade, imparcialidade, interpretação, segurança de dados, e necessidade de auditorias rigorosas. A falta de e preparação e verificação internas pode levar a resultados inesperados, com danos Ă  reputação e açÔes legais, ou atĂ© mesmo perdas financeiras ou interrupçÔes operacionais.

A tradução automĂĄtica Ă© um campo onde a InteligĂȘncia Artificial se tem mostrado promissora, no entanto, tal como o incidente este fim de semana em Lisboa demonstrou, um simples erro de tradução pode ter consequĂȘncias preocupantes. É essencial que as organizaçÔes e os indivĂ­duos estejam cientes das limitaçÔes da InteligĂȘncia Artificial, e que existam mecanismos de revisĂŁo e verificação humana para garantir a precisĂŁo e a fiabilidade do texto traduzido.

Curiosamente, a confusĂŁo linguĂ­stica nĂŁo ocorre em todos os idiomas, pois as origens do nome da fruta “RomĂŁ” divergem. Aa raĂ­zes etimolĂłgicas da palavra “RomĂŁ” derivam provavelmente ou do Latim “Malum Granatum”, que se traduz como “Maçã Granulada”, ou do Árabe “Rummān” (“RomĂŁ”). Enquanto em portuguĂȘs o termo para a fruta, “Romã”, evoluiu do ĂĄrabe, em idiomas como o Espanhol, FrancĂȘs, InglĂȘs, AlemĂŁo e Russo, o nome da fruta derivou do termo em latim. “Malum” Ă© a palavra em latim para maçã, e “Granatum” refere-se Ă  caracterĂ­stica granulada da fruta.

A palavra para o dispositivo explosivo, “Granada”, tem esta etimologia curiosa; a semelhança de uma granada com a fruta RomĂŁ, possivelmente devido ao fato de estar repleta de pequenos grĂŁos de pĂłlvora, semelhantes Ă s sementes da fruta, inspirou o seu nome.

Desta forma em portuguĂȘs, temos a adoção do termo ĂĄrabe “Rummān” para RomĂŁ e o termo europeu “Granada” para o explosivo, derivado do latim “Granatum”.

No entanto, em idiomas como InglĂȘs e FrancĂȘs, a ligação etimolĂłgica entre a fruta e o explosivo Ă© mais direta. Em inglĂȘs, RomĂŁ Ă© traduzida como “Pomegranate”, onde “Pome” deriva do francĂȘs “Pomme” (maçã) e “Granate” do latim “Grānātum”. O termo para granada Ă© “Grenade”, que tambĂ©m evoca a origem do nome em latim. Da mesma forma, em francĂȘs, a RomĂŁ Ă© conhecida como “Grenade”, tal como o dispositivo explosivo.

As semelhanças continuam em alemĂŁo, onde a RomĂŁ Ă© chamada de “Granatapfel”, ligeiramente diferente de “Granate”, que se refere a um projĂ©til recheado de explosivos.

Este jogo de palavras e a evolução etimológica dos termos destacam as nuances complexas da tradução, demonstrando a necessidade de uma compreensão cultural profunda para evitar mal-entendidos, especialmente quando se confia na tradução automåtica.

Na M21 Global, sabemos da importĂąncia de entregar traduçÔes precisas e corretas e o quĂŁo essencial Ă© o trabalho, a experiĂȘncia e a competĂȘncia dos tradutores humanos na tradução. Estes eventos relembram-nos da nossa missĂŁo de proporcionar serviços de tradução de alta qualidade, garantindo que a comunicação entre diferentes culturas e lĂ­nguas seja clara, precisa e sem mal-entendidos.

A InteligĂȘncia Artificial e as tecnologias de tradução automĂĄtica continuam a evoluir, mas atĂ© que possam igualar a compreensĂŁo, a empatia e a nuance cultural que os humanos oferecem, a revisĂŁo e a supervisĂŁo humanas permanecem indispensĂĄveis.

Este incidente, para nós apenas um episódio caricato, com toques de humor, foi provavelmente um incidente traumatizante para o turista azeri. Um pequeno detalhe toma proporçÔes alarmantes; um lembrete do longo caminho que ainda temos pela frente na busca da tradução automåtica infalível.

Fontes:

“Tourist accidentally makes bomb threat by mistranslating Portuguese word for ‘pomegranate’” – https://www.independent.co.uk/travel/news-and-advice/tourist-bomb-threat-portugal-grenade-pomegranate-b2438915.html

“Homem usa tradutor para ameaçar lançar granada dentro do restaurante PortugĂĄlia no Cais do SodrĂ© – https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/homem-usa-tradutor-para-ameacar-lancar-granada-dentro-do-restaurante-portugalia-no-cais-do-sodre

“Pediu ‘romã’ mas mostrou ‘granada’: Tradutor trai cliente e provoca alerta no Cais de SodrĂ©â€ – https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/troca-de-roma-por-granada-da-alerta-no-cais-de-sodre – paywall

“The Result Of Unchecked AI: Balancing The Benefits And The Risks” – https://www.forbes.com/sites/forbestechcouncil/2023/05/26/the-result-of-unchecked-ai-balancing-the-benefits-and-the-risks/